Você corre risco de perder o emprego para um robô?

Confira de que forma você pode continuar valorizado mesmo em um mundo automatizado

Não se trata de uma previsão de ficção científica. Já está acontecendo. São robôs que fazem o trabalho de advogados numa fração do tempo. Jornalistas que são substituídos por softwares que escrevem relatórios financeiros, quase que simultaneamente ao momento que os dados são divulgados. Até roteiristas já foram substituídos por essas máquinas cada vez mais inteligentes e que não param de aprender. Todos os titãs do Vale do Silício, como Apple, Microsoft, Amazon, Google e Facebook, estão apostando os seus bilhões de dólares em pesquisas nessa nova fronteira da tecnologia.

Primeiro, as máquinas substituíram atividades mais simples e repetitivas, como funções em linhas de montagem de fábricas. Agora, há uma ameaça cada vez maior a profissões que requerem habilidades mais complexas. Nenhuma indústria ou ocupação é imune à automação. A tecnologia de computação se sofisticou. Equipamentos eletrônicos usados na robótica estão melhores e mais baratos. Isso permite identificar padrões e automatizar atividades não repetitivas, como fazer uma tradução ou dirigir um carro, coisas que não acreditávamos que podíamos automatizar há uma década.

Os impactos da robótica e da inteligência artificial atingirão diversas áreas da economia, como os setores de agricultura, da indústria, de veículos, de entretenimento, de prestação de serviços, vendas, construção, saúde e financeiro. Telemarketing também é uma atividade que, potencialmente, tende a ser executada cada vez mais por máquinas e menos por humanos no mundo todo. O trabalho de caixa, no banco ou no supermercado, já tem sido facilmente substituído por computadores. Quem trabalha com transporte e logística ou com apoio administrativo também deve ser, eventualmente, substituído por um robô.

As 10 profissões mais ameaçadas de serem automatizadas:

1. Agente de crédito

2. Analista de crédito

3. Corretor de imóveis

4. Gerente de remuneração e benefícios

5. Atendentes de agências dos correios

6. Operadores de usinas nucleares

7. Analista de orçamento

8. Contador e auditor

9. Técnico de geologia e petróleo

10. Operadores de estações de exploração de gás

No entanto, o fato de um determinado trabalho estar na lista dos postos mais suscetíveis a serem realizados por robôs em um futuro próximo não significa necessariamente que essa função será, de fato, automatizada. A decisão sobre substituir trabalhadores por máquinas depende de diversos fatores, como custos de capital e trabalho, preferência de consumidores e legislação. A automação nem sempre é mais barata do que o trabalhador humano e requer um grande investimento, e o retorno pode não valer a pena.

Competências Socioemocionais

É fato que a automação cada vez mais deve transformar o mercado de trabalho, mas existe, sim, uma saída para os profissionais. É preciso se adaptar.

Os robôs poderão, sim, automatizar o trabalho de muita gente. No entanto, apesar de toda essa evolução, apenas 5% dos trabalhos serão completamente automatizados. Isso significa que há um enorme potencial não apenas para os humanos manterem seus empregos, mas também para se tornarem mais produtivos do que nunca.

Todos os profissionais precisarão se adaptar a um cenário com novas tecnologias, máquinas, robôs e inteligência artificial em diversas áreas, à medida que suas ocupações forem sofrendo a influência das máquinas. Algumas pessoas poderão fazer isso por meio de uma educação melhor. Outras, precisarão gastar mais tempo em atividades que exigem competências socioemocionais, criatividade, alto nível de capacidade cognitiva e habilidades que são difíceis de os robôs replicarem. De forma geral, significa usar menos o esforço físico e muito mais aptidões mentais.

Habilidades como originalidade e inteligência socioemocional são características difíceis de se automatizar. Quanto mais características deste tipo uma tarefa exige e quanto mais complexa ela é em termos de percepção sensorial e manipulação de objetos físicos, menor a chance de ser executada por um computador.

Empregos que requerem interação humana, como médicos, advogados, professores e bartenders, têm menos chance de serem substituídos por robôs. Trabalhos especializados, mas com salários não muito altos, como jardineiros, encanadores e cuidadores, também estão menos vulneráveis.

As 10 profissões menos ameaçadas pelas máquinas:

1. Supervisor de trabalhos mecânicos, instaladores e reparadores

2. Diretores de gerenciamento de emergências

3. Audiologista

4. Terapeuta ocupacional

5. Ortodontistas e especialistas em próteses

6. Cirurgiões buco-maxilo-faciais

7. Supervisores de bombeiros

8. Nutricionistas

9. Engenheiros de vendas

10. Médicos e cirurgiões

As competências socioemocionais são estimuladas por meio do Super Cérebro. O método, desenvolvido com o conceito de academia do cérebro, utiliza ferramentas inovadoras e exclusivas como o Soroban (ábaco japonês) e jogos importados premiados para desenvolver novas formas de pensar e, ainda, estimular a mente.

O método Super Cérebro desenvolve habilidades que vão fazer a diferença na hora de se destacar no mercado de trabalho. Entre em contato com a unidade mais próxima e agende uma aula experimental. Acesse: http://www.supercerebro.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s